Não é novidade o fato de que o famoso “boca a boca” é a forma mais eficiente de comunicação de uma empresa. Entre anúncios, publicidade, propaganda e outras formas de promoção de uma marca para um público-alvo, é a indicação de uma pessoa que é julgada como confiável que mais influencia a decisão de compra dos consumidores.

No segmento Moda, por exemplo, um estudo realizado pelo Data Popular com 1.500 consumidores de 100 cidades do Brasil revelou que sete em cada 10 mulheres preferem comprar com base na indicação de amigas, parentes ou pessoas conhecidas. A pesquisa foi publicada em agosto de 2013, no Info Money.

Em fevereiro de 2013, o E-Commerce News divulgou dados do Rakuten – considerado o primeiro shopping online de lojas virtuais do Brasil – que mostram que 63% dos consumidores brasileiros têm recomendado produtos através de uma rede social.

Um relatório da Webshooppers divulgado pela e-bit em maio deste ano revelou que, em 2012, 43% dos internautas que realizaram compras através de lojas virtuais recomendaram ofertas para os seus amigos no Facebook.

Essa relação entre produtos e marcas indicadas e compras efetuadas são visíveis na internet, seja em blogs ou sites de relacionamento. A partir do momento em que uma compra é realizada em uma loja virtual e replicada no Facebook ou Twitter; um check-in é feito por uma pessoa querida ou influente em determinada loja no Foursquare; uma foto de uma blusa ou produto novo adquirido é postada no Instagram; ou qualquer elogio feito a uma marca se torna pública, a possibilidade de despertar um interesse se torna maior.

É preciso levar em consideração vários fatores para criar estratégias que induzam os clientes a falarem (de preferência bem) da sua empresa. Uma pesquisa feita pela ONG Instituto Alana apontou que 80% das decisões de compra em uma família são baseadas na opinião de crianças sobre o produto. A mesma pesquisa mostrou que os menores são consultados em 60% das compras de automóveis no país. Ao analisar a situação, um pai ou mãe de família precisa priorizar o bem estar de todos. Logo, a probabilidade de comprar um modelo esportivo e mais compacto é menor se comparados a um veículo maior e mais seguro, com porta-malas maior para possíveis viagens, entre outros atributos.

Conhecer o público-alvo da sua empresa é importante, mas não apenas segmenta-los por localização, faixa etária e interesses. Entender o estilo de vida das pessoas e alinhar sua comunicação de acordo é imprescindível. Uma televisão de 72” pode ser o sonho para muitos adultos, mas na hora da decisão de compras, o valor que seria investido em tal produto pode ser melhor aproveitado adquirindo uma TV de 40”, um DVD Player e vários DVDs de filmes e desenhos animados para a família. Se uma oferta como essa agradar uma pessoa, maiores são as chances dela indicar a mesma oferta para amigos e parentes em situações semelhantes.

Esperamos que tenham gostado do nosso post de hoje. Na próxima semana, daremos algumas dicas para que as pessoas falem bem da sua marca.

Deixe um comentário com sugestões de pautas do seu interesse. E não esqueça de votar em nosso blog para o Concurso Peixe Grande 2013!

Douglas Simão

Douglas SimãoSócio e Fundador da Agência Diretriz – Gestão Digital de Marca. Profissional apaixonado pela área de Marketing Digital, em especial Gestão de Redes Sociais, SEO e Web Analytics!