Não é preciso ser vidente ou possuir poderes sobrenaturais para adivinhar as tendências de marketing para 2015, basta somente ser atento ao que está acontecendo. Só observar os conjuntos de comportamentos globais. Aqui falaremos de cinco: conteúdo de qualidade, micro-targeting, ampliação de conteúdos, explosão mobile e foco no utilizador. Vamos lá?

Finalmente as grandes empresas começaram a entender que o público ficou mais exigente e deseja campanhas com conteúdo mais inteligente e de qualidade. Tomemos o exemplo do que tem sido feito pela Coca-Cola e pelo Red Bull, eles perceberam qual o seu consumidor-alvo e traçaram estratégias exclusivamente direcionadas a ele. Constroem histórias de partilha identificação, com um storytelling. No caso do Red Bull, eles investiram na sua imagem de desporto radical e que não é somente um produto, mas um estilo de vida. Eles sacaram que o público quer conteúdo especializado e sentir-se especiais e únicos. Além de emoção e histórias que marquem.

Uma tendência que se entrelaça com a anterior: o micro-targeting. Algo que as empresas fizeram bastante em 2014 e continuará a ser bastante utilizada este ano. Tudo vai ser minimizado, especificado, direcionado e estreitado. Para isso, é preciso fazer um estudo do seu público-alvo e segmentar em micro-nichos. A ideia é construir estratégias especializadas e que sejam rentáveis, aumentando a interação e o envolvimento do seu consumidor.

O Facebook anunciou a diminuição do alcance orgânico para publicidade gratuita. Com isso, se quer dar destaque para a sua marca, precisa pagar anúncios. Não importa se você é uma marca de referência. Conteúdo viral também não funciona mais. É preciso investir em qualidade e ampliar os conteúdos.  Ser inovador é essencial. Este ano a regra é se arriscar e explorar em relação a criação de conteúdo.

Investir em marketing mobile e conteúdo responsivo. Não há para onde fugir, estudos mostram que 83% por cento do uso da internet será através de dispositivos móveis, em 2015. Graças a toda a sua praticidade, rapidez e acessibilidade. Se você quiser ser relevante este ano, precisa investir em responsividade e ter perceber que o futuro é mobile. Está na hora de as empresas entenderem que está na hora de investir em criar experiências digitais com dispositivos móveis que tragam um envolvimento e interação com quem usa.

E, acima de tudo: focar em que utilizará o seu produto. Ele é prioridade. É importante possuir empatia e percorrer o caminho de compra, traçar uma user experience design e construir uma relação proveitosa entre o seu público-alvo e você. Para isso, é tão importante analisar o que as pessoas e como elas reagem a determinadas emoções.