Em tempos de smartphones, onde as pessoas se acostumaram a fazer quase tudo na internet, – de preferência com o celular em mãos – o marketing das empresas necessita se adaptar às novas tendências. É preciso que o profissional tenha bastante empatia e vivencie toda a experiência que o consumidor passará. Isso ocorre porque o consumidor da atualidade exige ser impressionado, senão pode ir atrás de outro que satisfaça as suas exigências.

Os tempos onde os clientes eram vistos como ratinhos de laboratório passaram. O cliente não quer que você diga onde clicar, ele quer engajamento e conexão mental entre as marcas e pessoas. Ele só vai comprar se ele se identificar com a história mostrada. As pessoas compram por causa das emoções. E é isso que os profissionais de marketing necessitam ter em mente.

Primeiramente, conheça quem você está tentando se aproximar. Um bom storytelling só existe com empatia e conhecimento. É preciso que você se ponha no lugar do consumidor e imagine a experiência que ele terá. Trace metas e defina o que está tentando alcançar para que poder investir na aproximação mais certeira. Se você souber onde deseja chegar, tudo fica mais fácil.

“Para quem?” e “Qual o valor?” são perguntas essenciais que você deve fazer para produzir uma eficaz experiência. Não se limite aos dados demográficos, converse com o seu cliente, entenda como ele pensa. O que gostaria de defender? O que eles desejam ganhar? Benefícios ou status? Uma dica: desenhe um retrato do seu cliente e entenda desenvolvendo personalidades.

Faça uma análise dos chamados arquétipos do storytelling. Por exemplo, há a “Jornada”, onde um herói passa por diversos obstáculos até consigo alcançar o seu objetivo; há o “Renascimento”, onde mostramos que, apesar das diversidades, há sempre um modo melhor de resolver tal problema; a “Comédia” há uma situação cômica, apresenta-se uma confusão e a sua solução. Qual você usará? Qual se adapta melhor ao seu projeto e ao seu cliente?

Claro que um bom storytelling só surgirá com uma boa estratégia e análise. Faça brainstorm para que se chegue a boas ideias de como alcançar o seu cliente nessa jornada. Faça as perguntas. Imagine-se no seu lugar, pergunte-se o porquê de aquilo importar para o consumidor e quais emoções podem despertar. A base tudo é o sentimento passado. Tendo isso, dará certo.