As redes sociais estão ativamente presentes na nossa vida, chegamos a um ponto de “ou você está online ou você não existe” ser lema oficial da humanidade do século XXI. Desde a mais complexa a mais simples, elas existem aos montes, para todas as necessidades e gostos. Atualmente, o Facebook é o gigante da área… mas até quando? Um bom grande número de usuários não está satisfeito com a quantidade de anúncios que ele está impondo a seus usuários, sem contar do design carregado e ultrapassado. Com isso surgiram redes sociais alternativas a ele, como o Ello, que pode ser a resposta “Anti-Facebook”.

Nesse contexto, as redes sociais de troca de mensagens – a exemplo do WhatsApp, WeChat e Sanpchat – ganharam um grande destaque e mostraram-se populares e queridas, provando que, mesmo com toda a evolução, ainda preferimos nos comunicar por mensagens de texto. 2014 foi um ano muito importante para descobrirmos como queremos as redes sócias: simples e descomplicadas. Neste post, daremos continuidade na lista de redes sociais que foram tendência no ano que passou.

Já foi falado em textos anteriores como o Instagram se fortalece com o passar do tempo. Prova disso é a criação de uma “cultura insta” e de instrumentos e aplicativos focados na melhoria de fotos para essa rede social, a exemplo o famoso “pau de selfie”. Vivemos uma época de selfies e da necessidade de bater foto de tudo o que vivemos para colocar no Instagram. Estou dizendo alguma mentira? Um grande acerto dessa rede social foi, espelhando-se no Twitter, usar a opção de “seguir” ao invés do “pedido de amizade”. Pode parecer algo pequeno, mas foi uma decisão importante para a sua popularidade, pois você pode desfrutar de seguir aquela pessoa sem a pressão e a ansiedade de esperar que ela aceita a sua solicitação para serem amigos.

Seguindo uma linha que pode ter se iniciado naqueles perfis fake do finado Orkut, o sucesso de redes sociais voltadas ao anonimato é visível. É aquela vontade de ser uma mosquinha para saber os segredos dos outros. Destaque para o Secret, o Whisper e o Yik Yak. Você pode admitir que é deliciosa essa sensação de ver tudo e ninguém vê. Porém essas redes sociais são muito controversas no Brasil. Devem-se lembrar da polêmica que teve com o Secret, não? Isso até porque a nossa Constituição proíbe o anonimato, pois é uma forma de manter a liberdade de expressão correta – até porque liberdade de expressão não significa cyberbullying e divulgação de mensagem de ódio, que fique isso claro – e punir os atos ilícitos no anonimato.