A discussão de qual é o melhor navegador é antiga. Amantes do Firefox e Chrome se gladiam efusivamente e se gastam em argumento de defesa do seu navegador favorito. O certo é que o Google Chrome reina soberano, é o mais usado em dekstop e o segundo em dispositivos móveis – perdendo apenas para o navegador padrão do Android. Nessa disputa, o Internet Explorer não pode mais ser considerado, em virtude de já estar com os seus dias contados.

Contudo, há fatores mostrando que esse quadro está para mudar. Com tantos anos de disputa, parece que o Chrome está perdendo espaço para o Firefox e cada vez mais as pessoas estão migrando. A seguir veremos algumas vantagens da raposinha em cima do navegador do Google.

Primeiramente, por ser open source, fica mais fácil e rápido consertar os erros e bugs do Firefox. O browser com o seu código fica aberto e disponível para todos. Diferente do Chrome, onde somente parte do seu código fica aberto, resultando em um browser que não é utilizado pela massa: o Chromium.

O fato de possuir o seu código aberto contribui para algo bem bacana: o Firefox possuir extensões melhores e também bacanas. O navegador da raposa se sai bem melhor quando o quesito é extensões. E, quem as usa, sabe que não é quase impossível viver sem.

Por utilizar muitos recursos na máquina, o Chrome acaba tornando-se mais lento e pesado. Foi feito alguns pelo site alemão ZDNet para comparar o desempenho das atuais versões dos dois navegadores. O resultado deu praticamente em empate. A surpresa foi que o Firefox se destacou, mostrando-se mais rápido em testes com certo renome, como o Futuremark Peacekeeper.

Além disso, o Firefox possui ferramentas muito interessantes, como o recente Firefox Hello, onde é possível abrir uma conversa de mensagens instantâneas – que inclui áudio e vídeo – no próprio navegador e sem necessidade de plug-ins, extensões ou qualquer adicional. Isso, sem contar o Tor, um pacote de ferramentas para aqueles que desejam privacidade e anonimato na web.

E aí, o que achou? Eu já me senti convencido e já estou aqui de malas prontas, para migrar do Chrome para o Firefox.