Você se encaixa no grupo de pessoas que são adeptas as compras online? Já parou para pensar se esse tipo de venda está em crescimento e quais novidades esse mercado resguarda? As vantagens são muitas: praticidade, variedade e segurança. Apesar de ter que aguardar até o produto chegar, muitas pessoas aderiram a esse tipo de negociação e se dizem satisfeitas.

De acordo com a 32ª edição do Webshoppers, levantamento dos resultados do comércio eletrônico brasileiro feito pelo E-bit, no primeiro semestre de 2015, o e-commerce brasileiro faturou R$ 18,6 bilhões, apresentando um aumento de 16% em relação ao ano anterior. Em média, os consumidores gastam R$ 377 reais, valor também superior a 2014. Porém, foi registrada uma queda de 7% no número de pessoas que efetuam ao menos uma compra online. Essa baixa provavelmente está relacionada ao cenário de crise econômica que o país vem enfrentando. Os clientes que compram esporadicamente não fecharam negócios, mas os que apresentam uma maior frequência de aquisições continuaram as transações.

Mas quais serão os produtos queridinhos que lideram a preferência do público na rede? Esse ano, 25% do faturamento online foi proveniente das vendas de eletrodomésticos. Já em questão de volume de vendas, quem liderou foi o segmento de moda e acessórios. Confira a lista de faturamentos até julho de 2015.

Maior faturamento no e-commerce:
– 25%: Eletrodomésticos
– 18%: Telefonia/Celulares
– 12%: Eletrônicos
– 12%: Informática
– 7%: Casa e Decoração
– 3%: Esporte e Lazer
– 2%: Livros
– 2%: Brinquedos e Games
– 2%: Acessórios Automotivos

Os itens mais comprados:
– 15%: Moda e Acessórios
– 13%: Eletrodomésticos
– 11%: Telefonia/Celulares
– 11%: Cosméticos e Perfumaria/Saúde
– 8%: Assinaturas e Revistas/Livros
– 8%: Casa e Decoração
– 8%: Informática
– 5%: Eletrônicos
– 4%: Esporte e Lazer
– 3%: Brinquedos e Games