Como falado anteriormente, há uma espécie de código de ética e etiqueta não-estabelecido do que não deve ser compartilhado nas redes sociais. Algumas coisas podem ser irritantes e ainda perigosas para a nossa segurança. É preciso empatia e lembrar que ninguém quer saber tudo o que acontece na sua vida.

Não peça ajuda sobre tratamentos ou que remédio deve tomar no Facebook. Se tem algum problema, vá ao médico ou pergunte a um farmacêutico ou até a sua mãe. Algumas coisas precisam permanecer no ciclo privado.

Assim como não se deve pedir ajuda médica nas redes sociais, a jurídica também deve ser evitada. Sem contar que há uma grande possibilidade de receber maus conselhos. Vá diretamente a algum profissional da área e tire a sua dúvida.

Não anuncie que você ficará fora e ninguém ficará em casa. É como dizer “Vem aqui e me roubem”. É preciso certo bom senso e perceber que atitudes como essa pode colocar a nossa e a vida das pessoas próximas em risco.

Evite compartilhar coisas que soem como ostentador. Além de irritante, pode gerar inveja e ainda colocar a nossa segurança em risco. Pense: você não precisa compartilhar cada passo que dá ou cada carro novo que compra ou fotos naquela viagem em Paris. Certo bom senso é essencial.