Por muito tempo, o Photoshop reinava absoluto no coração dos UI Designers, porém essa figura mudou com o surgimento do Sketch, um programa que começa a abalar as estruturas e concorrendo de frente com o programa do Adobe. Vamos falar nesse post um pouco sobre ele e sobre os seus diferenciais do Photoshop. Vamos lá?

Como ele foi feito para UI Designers, as ferramentas buscam facilitar a construção de interfaces. O sketch parece ser um canvas infinito, onde você pode duplicar, criar e arrastar elementos ou telas com liberdade. Ele é todo em vetor, o que facilita bastante prática uma adaptação dos projetos a diferentes resoluções de tela.

Logo de cara, percebe-se que o Sketch aparenta ser bem mais prático e simples, principalmente porque os seus comandos são bem mais intuitivos, principalmente para quem já está familiarizado ao Photoshop. Mas um ponto é certo: ele é bem mais “enxuto”.

O Sketch é CSS Friendly. Dificilmente, o projeto gráfico apresentará algo que o desenvolvedor não consiga replicar, pois as limitações nos efeitos de bordas, degradês e preenchimento são os mesmos.

Uma característica que agradará bastante o desenvolvedor frontend é que as configurações de texto – as entrelinhas, o corpo do texto e configurações de fonte, por exemplo – são pensadas para serem similares à renderização do navegador.

Se você trabalha com mobile, a seguinte opção foi feita para você. Com o Sketch, a exportação é muito mais fácil. Basta selecionar tudo o que quiser exportar e depois definir os tamanhos e sufixos para cada .png. Com apenas um clique, é possível exportar uma imagem para as milhares de resoluções de Android ou iOS. Sim, isso é sério.

Enfim, são muitas as vantagens do Sketch. Vale a pena conferir e ver por si mesmo.