Muitas vezes contratamos um pacote de internet, mas ele não atinge a velocidade desejada e contratada. O que poucos sabem é existem alguns fatores que podem influenciar nos níveis que a nossa internet pode chegar. Simplesmente contratar um pacote com uma velocidade superrápida não é suficiente.

O primeiro deles é o fator geográfico e a distância entre o usuário e o servidor. Quanto mais distante, mais lenta a velocidade da banda larga. Tendo ciência dessa problemática, alguns sites utilizam vários canais simultaneamente. Inclusive, muitos provedores de serviço e conteúdo online trazem os seus arquivos para servidores brasileiros através de redes compartilhadas, as CDNs (Content Delivery Network). Elas são redes de distribuição de informação que permitem fornecer conteúdo Web de uma forma mais rápida a um grande número de utilizadores, espécie de GPS, que mostram os melhores caminhos para que a informação chegue ao usuário.

Outro fator é a própria estrutura da operadora contratadora do serviço de internet. Suponha que a internet seja um carro em uma estrada. Se caminho for esburacado e sem reparos, é claro que aquele carro demorará a chegar ao seu destino do que um que foi por uma estrada melhor.

O terceiro item são as limitações do servidor utilizado. De nada adianta contratar uma internet superrápida se o servidor não comporta. Se o caso for, a internet ficará “estrangulada” e lenta.

Na hora de contratar um serviço de internet, não se deixe levar somente pela internet que eles divulgam. Podem dizer que é banda larga super rápida na teoria, mas a prática é outra. Faça uma boa análise antes.